Digital é ferramenta, não estratégia

Há uns 3 ou 4 anos, estive em uma palestra da Carla Purcino, na época Diretora de Planejamento da DPZ&T, em que ela disse: não existe planejamento digital, existe planejamento. Pausa esse assunto.

Vivendo nosso atual momento, percebemos que as agências e profissionais que ganham espaço, são aqueles que prometem os resultados imediatos por meio do marketing digital. Entendo que precisamos vender agora para sobrevivermos, mas até que ponto isso é saudável para uma marca? Muitas vezes, na cabeça do empresário é uma perda de tempo pensar em gerar conteúdo relevante para seu público, mas mal sabe ele, que o alcance e o impulsionamento orgânico que a marca terá daqui um tempo não tem preço.

Hoje vemos pessoas atrás dos números, conversões, leads, vendas. Mas pouco importa o que a marca está transmitindo. As pessoas querem vender, mas o mundo quer comprar de uma marca vazia e que só pensa em seu próprio lucro? As pessoas mudaram e a pandemia virou tudo de cabeça para baixo. Não sabemos ainda o que vai acontecer, mas uma coisa é certa: as pessoas querem acolhimento, interação e conexão. E não uma marca empurrando seus produtos em meio ao caos.

O que isso tem a ver com a frase do post? O que tem a ver com a palestra da Carla Purcino? Tudo. Enquanto os empresários querem vendas por meio do digital, o público quer receber atenção. O digital é uma ferramenta dentro das estratégias da marca. O digital não é único, ele faz parte do ecossistema de uma marca que deve ser respeitado. O que a Carla e eu queremos dizer é que não se divide o que não há divisão. O planejamento faz parte de um projeto e de planos de ações. O digital é uma forma de se comunicar com o público e de interagir com as pessoas.
Empresas que buscam apenas o lucro e não tem noção do que é uma marca, podem encontrar um certo prestígio a curto prazo, mas ao longo prazo, sequer vão existir.

Prev Next

Deixe uma resposta